Monday, October 08, 2007

everybody is the bad guy


Não importa. Todo mundo é filho da puta mesmo. Eu teimava em encontrar um mocinho, na história de bangue-bangue da Terra. Mas eu só me envergonho por ser humana. Não existem coitadinhos, eu costumava ter pena do Japão por causa das bombas, mas a gente vai conhecendo a história e acaba vendo que foi muito é bem feito. E todo mundo que se fudeu foi assim; no começo da peninha, depois foi merecido. Sou cética agora quanto às pessoas. Se não houve maldade ainda, é porque ainda não houve a chance.
Eu lembro quando eu discutia durante horas com meu namorado, porque ele sempre foi um anti social, que fugia de desconhecidos e desagradáveis. Tentava dizer que a relação humana é necessária, que o homem se construiu em sociedade. E de fato eu tava certa, como sempre soube, o que eu não sabia, é que ele também estava; muito mais do que eu até. Nós precisamos de pessoas, mas não de todo mundo; a gente precisa dos nossos verdadeiros amigos, dos nossos amores e de nossa família (em alguns casos nem isso). Mas eu não preciso do resto. Ninguém precisa. Vamos nos isolar desses outros que só te olham com desejo que você caia. Que só te chamam para poder fuder no fnal da história.
Eu não quero nenhum babaca de qualquer espécie dizendo o que eu devo ou não fazer, eu sempre tive problemas com hierarquias. Eu não quero ninguém julgando por mim o que é certo e o que é errado, foda-se se eu não tenho o dom da percepção, eu vou aprender é com meus próprios erros, eu tenho culhões para me arrepender.
Ainda vou morar longe de tudo, perto somente para quem eu gosto poder me visitar. Vou ter minha casa, meu canto isolado das feiúras dessa realidade condenável que tanto me enoja. Não nasci com uma tarefa no mundo (pelo menos foi o que compreendi até hoje). E já que minha falta não será falta para ninguém, eu vou viver cada segundo da minha vida como eu bem quiser, contanto que não fira quem eu amo, o resto que se dane.
Socialismo, comunismo, capitalismo, marxismo, realismo, factualismo, ismo ismo ismo... Vá tudo para a puta que te pariu. Eu vou mais inventar meu dia-a-dia, no psicodelismo e existencialismo. essar merdas inventadas para ordenar, só desgovernam o trem de nossas vidas. Eu gosto é do gasto, eu quero o estrago. Quero a liberdade perto de mim, e a justiça dos outros bem longe. Porque essa tal justiça que anda por aí não me convence, não é a minha justiça. Não diz nada para mim. Vou fazer minhas próprias leis e reiventar uma justiça que não dê mais motivos para chorar, de revolta ou de arrependimento. E não tô nem aí para quem acha errado, faço a minha parte, sei por onde, sempre soube. E vou buscar a distância do que eu condeno, porque não julgo e penalizo, quem sou eu pra tal? Só me distancio e busco um entendimento maior. E quem estiver errado, não receberá minhas pedras, eu nunca atirei elas. Eu vou é buscar abrigo longe do que eu acho errado, e se fosse você, faria o mesmo, porque não adianta esperar, ninguém nunca vai fazer o mundo melhor para você. Só você.




Alan Moore, há mais de 25 anos fazendo jovens se distanciarem do que realmente é sujo e frio.

4 comments:

Alice D. said...

Nossa, que texto!


Na verdade eu vim aqui, porque vi seu comentário/textamento no blog da Ira e gostei muito da opinião,é isso.

Bom dia.

Alice D. said...

de nada, voltarei com frequência
;D

Ira said...

Compartilho da opinião de que eu não de mais ninguém, só das pessoas que realmente importam. Andei quebrando muito a cara também.

Sobre o seu comentário no meu post...

Mas sabe o que eu gostei do filme: o tom critico. Tom critico no tráfico, na policia, na tortura que o BOPE faz, a classe média e alta.
Até concordo que o tráfico começa com algo grande mas se nao tiver o pequeno o grande não se sustenta. Então, pra mim, somos todos grandes financiadores da nossa realidade violenta (seja tanto comprando droga, como cd e dvd pirata. todo mundo já foi co-responsavel de alguma forma).
Eu até acredito que a legalização possa resolver alguma coisa, mas enquanto não está legalizado, BOPE neles (como diz meu namorado).

Não acho que o filme vá causar preconceito, porque muita gente nem vai se ligar no proposito real dele, mas o legal dele é polêmica. Geralmente polêmica gera resultados.


Obrigada pelo "cabeça boa". Eu também acho que eu tenho uma ;P
E compartilhar opiniões é sempre muito legal.
Beijos.

Alice D. said...

aaaaa
muito obrigada
e você tem toda razão
asihdiuashdu


deveria postar mais,
acho que ja li muito do seu arquivo.

e hoje o dia ta cinza também
mas a chuva vai atrapalhar a sexta,
mas sabado pode estar chovendo canivetes, que eu não fico em casa
sadhaiusdhiushd


;*