Monday, October 13, 2008

I never mean to make sense, anyway

Então, desde a última vez que estive por aqui para falar de mim, bastante coisa mudou. Eu estava meio sem chão, tentando me afirmar sem medo do futuro, num momento de ócio absoluto, quando não fazia nada da minha vida.
Como sempre acontece comigo, de um instante para outro minha vida virou de cabeça para baixo e meus medos mudaram. Arranjei um emprego, carteira assinada, alguma coisa de futuro (eu acho). Estou trabalhando como fotógrafa em um estúdio, coisa que já há muito tempo achava que nunca faria. A maioria de meus modelos são crianças, o que é sempre uma diversão para mim. Fico de 9 às 19 e já não tenho mais meu tempo livre de antes. Meus dias não são mais tão divertidos, mas não vou negar que estou achando piece of cake trabalhar, sendo com uma coisa que eu gosto...
Hoje dei uma encaminhada em minha monografia, o que já me dá mais vários dias para não pensar no assunto e tira uma pendência de minhas costas. Ainda não sei o que vai ser de mim e parece que passei em um concurso, mas o resultado mesmo só sai ano que vem, então nunca se sabe.
Só sei que não me sinto mais em débito com o mundo, mas me amedronto diante da possibilidade de ser isso mesmo. De a minha vida tomar um rumo e acabar sendo como sempre afirmei que não seria. Posso estar fazendo tempestade em um copo d´água, mas se não fizesse, não seria eu, não é mesmo?
Meus amigos ainda são os mesmos, que ficarão, eu bem sei. Às vezes tenho medo que me esqueçam, que se cansem ou que se mudem. Não tem muito que eu possa fazer senão deixar ao tempo a resposta. Meu amor me acompanha e me faz bem, mas isso não impede que eu ainda tenha milhares de anseios sobre o que será de nós dois. Parece que o futuro tá chegando e tenho medo de momentos decisivos. Jajá ele vai embora e, tanto eu como ele, não podemos ter certeza de que ele volta. Pelo menos não para mim. Sou insegura mesmo e não tem cura, só posso é esconder um pouco isso como sempre fiz, para poder me mostrar um pouco da força que não tenho.
Os livros que eu lia estão parados, esperando por um pouco mais de tempo, ou pelo menos que eu me acostume com a idéia de não ter mais minha vida inteira com cada minuto para viver. Estou voltando a me cuidar um pouco, uma vez que tinha me largado um pouco de lado, nessa história de fazer os outros ficarem bonitos em fotos.
Não sei também se tenho mais o que falar, mas "não tenho" mais tempo para ficar perdendo pensando em o que posso falar, em quais palavras ficariam melhor em cada frase que estou escrevendo. Esse tempinho que me sobrou eu vou usar para dormir, terminar meus livros, mimar meu namorado, ser feliz com meus amigos, passar mais tempo com minha família, ver heroes, pintar minhas unhas, whatever.

3 comments:

Alice D. said...

também sempre tenho medo do futuro
mas aprendi depois de arrumar 3 empregos
e perder os 3
que não se pode tentar adivinha muito, sabe?

mas com certeza, vai dar tudo certo ;D

Anna Duzzi said...

se eu me lembrasse exatamente palavra por palavra, diria agora pra você tudo o que você me disse aquele dia.

sabe?
é foda. e seu disser que te entendo vc vai saber que tô sendo sincera.

o tempo, essa bosta. ando assim tb.
chega o fim do ano me dá uma coisa, sei lá...

o que eu sei é: hoje é sexta. hoje e dia de relaxar, beber com os amigos, ir no quiz que tá devendo e deixar anna duzzi te abraçar 70 milhões de vezes pra ver se passa isso tudo aí.

se não funcionar, a gente inventa outra loucura qualquer e SE JOGA.

cara...
na boa
gosto tanto de vc
nunca imaginei, tá?

mesmo.
tipo...
MESMO.

mesmo!!!!!!!!!!!!!!!!!! (L)
believe me

Alice D. said...

eu votei a escrever e você parou :/