Tuesday, February 25, 2014

aquilo que aquilo é

Eventualmente eu me deparo com o medo de perder isso aqui. Das palavras que tantas vezes saem fácil, como máquina de sentimento, se calem para todo o resto do tempo. Não que tenha algo de interessante para compartilhar, até tenho, mas não é aqui que faço. Isso aqui é meu, e de quem quiser, caso queira. Mas é meu de me deixar ser e dizer e gostar ou não daquilo que disse. Poderia escrever um artigo sobre as atrocidades que andam acontecendo ao redor de todos que moram nesse país, mas não é para isso que isso aqui serve. Poderia escrever mensagens destinadas à pessoas que gosto ou que não gosto, como já fiz antes, mas aprendi, isso também não é o propósito disso aqui. Poderia selecionar coisas interessantes do mundo e compartilhar com quem quisesse por aqui, mas isso também não é o que faço nesse lugar. Afinal, porque mantenho um espaço, que se encontra sempre desencontrado, abandonado e desinteressante? Não sei. Mas acredito que seja para deixar registrado um eu que talvez só eu mesma conheça, para deixar aquilo que mora aqui dentro, fora. Para se alguém um dia quiser ler, entender um pouco do que era o vazio da cabeça de alguém que nem importa, mas que escreve sem nem ler o que escreveu. Não que seja importante, não que faça alguma diferença, não que se destaque. Mas se tanto resto se pretende fazê-lo e não passa de inutilidade, pelo menos a minha inutilidade é auto intitulada e não se sente obrigada a fazer nada. Me livra um pouco de alguma coisa qualquer que não sei o que, sei lá por que motivo. Me permite escrever um bloco de notas rapidamente, o que nunca acontece no trabalho. Me obriga a pensar um pouco naquilo que não penso. Me faz deixar pedacinho do que eu acho que sou eu para trás... Acho que é isso que isso daqui é. isso aqui costumava ser um lugar para deixar as tristezas para trás. talvez estou só me escondendo no nada, daquele muito que a vida é.

1 comment:

karen koshiyama said...

Ditos sem querer dizer, tão pessoais, mas claros. Seus textos são lindos, Dani!!!!