Tuesday, October 10, 2006

I guess it´s my turn

Eu só quero gastar algumas palavras. Só para limpar minhas gavetas e jogar fora as canetas sem tinta. O tempo cura ressaca, e a dor de estômago que o alcool ruim traz. O tempo cria oportunidades de alcool pra rir ao invés daquele para não chorar. O tempo cura as feridas e deixa o passado tão longe, que a gente esquece. Eu não tenho mais costume de me lembrar, não me fico remoendo, não preciso mais. O que é bom do passado, nunca vai embora, o que não é, não dura mais que o tempo que tem que durar. Para aprender. Para ter sido.
Eu nunca imaginei que era tão bom a vida simples. As gargalhadas fortes, os sorrisos largos mesmo. Eu sempre fiquei resmungando a falta de tudo e me veio de presente, até que enfim. Tenho uma coisa completa nessa história. Não me vem na cabeça uma falta doída, como antes.
Agora tenho uma vidinha comum, com meus amigos e minhas aventuras engraçadas. Tenho um amor, como agora sei amar, tenho um amor. Tenho o mundo e ele me escapa, mas eu vou atrás dele todos os dias enquanto eu vivo e não espero ele abraçar. Tenho meus momentos de dizer adeus, mas sempre acompanhados de um até logo. Não preciso de mais dor para dizer que SOU. Tenho meus sorrisos para sentir que sinto e nada mais.

3 comments:

Fernanda Figueiredo Braga said...

Tb passei há pouco tempo por isso tb...Renovação! O que é bom demais! Acho q é isso q nos corredores da vida chamam de maturidade! Vai saber...
bjaõ querida!
And never give up soundtrack! lol

GustavoBaldez said...

Tem tb os Acéfalos pra carregar com vc e pra te carregar, quando vc estiver com as pernas cansadas. Mesmo eu q de longe só posso observar por um ceú nublado a condição de vcs fico feliz de ver q vai tudo bem, mas a caminhada continua e alguém tem q fazer o trabalho braçal. O sorriso largo eu te dou pra q vc carregue na memoria na bolsa e onde mais vc puder copiar-colar. E quanto ao adeus, saiba q ele é memso um até logo, pq nunca é o dia da nossa derradeira separaçao.
beijo

gustavobaldez said...

olha a grafia gustavo, olha a grafia...